segunda-feira, 20 de julho de 2015

8 dicas para atrair boas energias



Tal como uma esponja, absorvemos tudo o que nos rodeia.
Logo, muitas das decisões que tomamos são influenciadas pelo que se passa à nossa volta, pelo nosso ambiente…..mesmo que não nos demos conta disso.
Então como evitar que o exterior interfira de forma negativa nas nossa decisões e provoque estragos na nossa vida?
Como ser um íman de boas vibrações?
Como usar o poder da mente e ser mais feliz?
A “nossa mente e sentidos são permeáveis e deixam-se tocar por tudo o que os estimule directamente” – Mariana Lago (Cosmopolitan)
Segundo o neurologista norte-americano Richard Restak,  as emoções negativas exercem uma influência muito maior que as positivas. Isto é consequência de “um fenómeno conhecido como contágio emocional, em que forças externas (música, espaços físicos, cheiros….) e pessoas com más energias são verdadeiramente atentados contra o nosso equilíbrio mental, físico e emocional” .
E muitas vezes nem nos damos conta de que isso acontece.
Vamos, então, “munir-mo-nos das melhores armas” para  neutralizar as más energias e as más vibrações e conseguir atrair tudo o que nos permita levar uma vida mais agradável, harmoniosa e feliz ( Mariana Lago, Cosmopolitan, ano 16, nº 204).
1 – Estimule os ouvidos - As mensagens negativas da música, dos noticiários, dos colegas, familiares e amigos, podem ter consequências profundas sobre os seus pensamentos e determinar a forma como vai agir. Canções, informações e discursos com frases, palavras, informações sobre fracassos e desilusões actuam como “mantras” e penetram o subconsciente, que segundo os cientistas, impulsiona cerca de 80% do que fazemos. Invista em músicas, informações, conversas positivas para se manter sempre estimulado e feliz.
2 - Ofereça prendas a si mesmo ou comemore sempre alguma coisa – Segundo um estudo publicado no Journal of Consumer Research, comprar algo que realmente deseje, ou comemorar algum feito, vai deixá-lo feliz por muito mais tempo do que comprar apenas o que necessite. Oferecer um presente a si mesmo ou comemorar algo, “estimula as endorfinas e vai dar-lhe um grande impulso de felicidade”.
3 – Veja mais comédias - Assistir a um filme divertido, mesmo durante 15 minutos, é bom para o sistema cardiovascular. Também está provado que libera enforfinas, os calmantes naturais que existem no organismo. Investigações recentes também sugerem que imagens atraentes (lugares paradisíacos, pessoas atraentes), activam os centros de prazer. Ao olharmos para uma imagem agradável o “sistema nervoso simpático e parasimpático sincronizam-se” o que provoca uma reacção agradável e prazerosa. Isto significa que receberá uma dose instantânea de felicidade sempre que olha para algo que goste.
4 – Fuja dos pessimistas – Quando alguém faz um gesto hostil, aqueles que estão por perto têm mais tendência a imitá-lo, mesmo que inconscientemente. Isso poderá explicar “alguns fenómenos de massa” e todos corremos o risco de reagir com atitudes que até a nós próprios parecem inadequados. “A raiva e a ira” são as emoções mais contagiosas”. Quando alguém se relaciona com uma pessoas ressentida ou irritável, fica mais exposta a sofrer essas emoções (Steven Stosny). Tenha consciência das suas atitudes e não se deixa influenciar pelos outros. Escolha melhor as pessoas com quem se relaciona porque podem influenciá-lo mesmo contra a sua vontade. Já diz o velho ditado “diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és!”.
5 - Seleccione o que come - Embora pense que selecciona no máximo 15 alimentos e bebidas por dia, na realidade toma mais de 200 decisões alimentares, muitas delas automaticamente, influenciadas pelo ambiente onde está inserido, como as que têm a ver  com o tamanho do prato, a quantidade de bebida que o copo leva, o  lugar onde come e com quem. Isto significa se o colega que o costuma acompanhar nos almoços é um glutão, é provável que a roupa comece a ficar-lhe apertada. Por isso, da próxima vez que foram almoçar peças entradas separadas e dividam o prato principal. Se ele discordar da sua estratégia, o melhor é procurar outra companhia para as refeições.
O lema é usar a comida para se sentir bem  e estimulado em de vez de o fazer apenas para saciar a ansiedade. É bom consumir alimentos ricos em triptofano, como ovos, peixe, nozes, amêndoas, bananas e alface. Este aminoácido facilita a síntese e libertação de serotonina, a hormona  que se encontra no cérebro e que é responsável pelas nossas sensações de felicidade e bem-estar, dois dos melhores e mais eficazes antídotos contra o stress.
6 – Contacte  a natureza – Adapte desde já um novo “mantra” diário, como “verde ue te quero verde!”. Entrar em contacto com  a natureza e com o verde, irremediavelmente unidos à primavera, pode ajudá-lo a melhorar o seu estado de espírito. Esta cor actua sobre a depressão e a vista cansada, além de proporcionar doses extra de harmonia e empatia. Além disso, contemplar a natureza reduz o stress e a ansiedade, e ajuda a diminuir a tensão arterial. Sentar-se  a observar a beleza das flores também pode ajudá-lo a manter uma perspectiva positiva diante das situações. Vários estudos científicos provam que  as flores efeitos agradáveis no nosso estado de espírito e que algumas cores ajudam até a levantar a moral.
Nos dias que sente que acordou com uma “nuvem negra” a pairar sobre a sua cabeça, apanhe um pouco de sol: o seu cérebro segregará serotonina e desta forma a ansiedade diminuirá e será mais fácil ficar bem-disposto.
7 - Ande mais devagar, por favor – Até a forma como caminha pode ser contagiosa. Um estudo mediu o tempo que os habitantes de diferentes pontos do mundo demoravam a percorrer 18 metros. Em todos os países se caminha mais depressa que há 20 anos atrás. Você caminha “voando” para chegar ao trabalho e corre no final do dia para chegar a casa. Tire um tempo para olhar para a paisagem, para as pessoas, para a natureza, para si ou para passear bem devagar. Se necessário, levante-se um pouco mais cedo para depois não andar a 200 à hora. É a sua vida que está em jogo e você merece desfrutá-la ao máximo.
8 – Use o poder da mente – Regra geral, as nossas emoções são consequência directa dos pensamentos que também podem ser provocados por algum tipo de situação que nos cause desconforto. Quando acreditamos que está prestes a acontecer algo que nos desagrade, o cérebro revive esse episódio, mesmo que não esteja na realidade a acontecer. Ao antecipá-lo, os nossos medos tornam-se reais. Por outras palavras, a mente pode ser um íman de boas ou de más energias. Você é que decide! Os sentimentos de calma e paciência transformam-se em acções positivas e, por vezes, o que parece adverso pode ser uma oportunidade escondida.
Como recuperar a calma?
Trazer à mente a imagem de alguém querido baixará a pressão arterial a ajudará a acalmar-se.
Por último experimente este exercício: pense numa frase curta, como “estou em paz absoluta”, e repita-a, lentamente, durante 30 segundos várias vezes ao dia.
Repetir palavras tranquilas ajuda a baixar a pressão arterial, a desencadear o pulso e a relaxar mentalmente.
Espero que tenha gostado
Um abraço
Luísa de Sousa